Resumo

“Desde cedo busco conquistar e realizar meus sonhos, sempre faço a minha parte para atingir o que almejo, porém nem sempre conquistamos aquilo que sonhamos. Quando lembro que fiz o melhor de mim fico muito feliz. Afinal, fiz tudo que estava ao meu alcance. Comecei a surfar aos 09 anos, na praia de Peruíbe, litoral de SP. Paguei 10(!) reais pela minha primeira prancha, pensa no toco! Mas me divertia muito com meus amigos. Fui levando o esporte à sério, e aos 12 anos comecei a treinar em uma escola de surf local. Passei a me preparar para as competições, batalhei bastante e fui conquistando alguns resultados. Competi muito até meus 20 anos e parei de competir por falta de condições financeiras, foi quando decidi morar em Florianópolis. Tive que trabalhar para me manter e pagar as contas. Hoje sou Free Surfer e além das responsabilidades de trabalho, arrumo tempo para surfar todos os dias. Agradeço à Deus por este privilégio!” (Fernando dos Santos, o “Pequê”).

Data de nascimento: 28/05/1990.

Local de Nascimento: Peruíbe, São Paulo, Brasil.

Onde mora: Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Entrevista

Há quanto tempo você surfa e o que te motiva?

Surfo há cerca de 15 anos,e o surf faz parte da minha rotina, surfo todos os dias e a minha motivação e a busca pela evolução a cada dia,compartilhando momentos únicos e me divertindo com os amigos.

Qual(is) atleta(s) te inspira(m) e por que?

Dane Reynolds,sempre assisto as sessoes dos filmes com ele antes de ir para água para me instigar.

Quais suas trips dos sonhos?

México e indonésia.

Você faz algum condicionamento físico ou funcional?

Sim, faço treinamento funcional regularmente.

O que você faz pelo meio ambiente? E o que mais te incomoda hoje em dia em relação à isso?

Preservo e cuido, faço a minha parte. O que mais me indigna é o descaso da humanidade em relação a preservação do meio ambiente, quem não tem o contato diário com a natureza não tem a consciência de preservá-la.

Nesses últimos dois anos, o Brasil está em destaque no mundo do surf. Isso facilitou a procura e/ou propostas de apoio e patrocínio?

O mercado do surf cresceu muito nestes últimos anos, mas ainda assim não facilitou muito a vida dos surfistas brazucas, tanto “Free Surfers” como “Competidores”, atletas de altíssimo nível estão sem apoio ou patrocínio.

Como surfista, como você se vê daqui a 10 anos?

Quero explorar o mundo, conhecer lugares e culturas diferentes.

Como você escolhe suas pranchas? Qual característica acha mais importante?

Escolho minhas pranchas de acordo com as condições do mar… Converso com meu shaper Rogério (Arenque) sobre a performance das pranchas para fazer os ajustes necessários e assim chegarmos a conclusão da prancha mágica.

0