01. Projeto

Um desenho bem feito, elaborado com base em conceitos hidro dinâmicos e testado em diferentes condições por surfistas habilidosos, é o alicerce da obra. Combinamos os diversos elementos para compor os modelos de nossa linha, visando atender as mais variadas condições de onda e performance.

Os desenhos são trabalhados em softwares (CAD) específicos para o desenvolvimento de pranchas , que proporcionam uma visão detalhada de todos as características. Isto contribui para o aumento da precisão, tanto na criação, quanto no aperfeiçoamento e reprodução de modelos. Essa é a primeira e mais importante fase, onde são definidos o formato e as dimensões do shape.

02. Shape

Depois do corte na máquina, o pré shape precisa ser finalizado à mão.  É essencial que essa etapa seja executada por um profissional experiente, caso contrário, detalhes importantes do projeto podem se perder, comprometendo o funcionamento da prancha.

Esse acabamento feito à mão, determina principalmente os detalhes de borda, que são o ajuste fino na interface entre as ondas e os surfistas.

03. Laminação

Poliuretano / Poliéster – construção  mais utilizada por surfistas interessados na alta performance. Através de  nossa experiência, pesquisas e trocas de informações com companheiros de profissão,  desenvolvemos um procedimento que consideramos ideal. Combinando esse conjunto de técnicas com os materiais que selecionamos, conseguimos preservar a integridade das camadas de fibra de vidro e, ao mesmo tempo, evitar uma segunda aplicação de resina para acabamento (gloss). Tornando o conjunto o mais leve e resistente possível.

EPS/Epoxy – Muitas construções diferentes vêm sendo desenvolvidas para substituir a combinação tradicional (Poliuretano/poliéster). Desenvolvemos nossa construção alternativa com a mesma meta de alta qualidade e performance. O principal objetivo é tornar a prancha mais leve e controlar a flexibilidade para gerar velocidade em ondas mais fracas.

Bloco em EPS de alta densidade, com longarina de material aeroespacial e reforços de fibra de carbono em padrões determinados, que tornam a prancha mais rígida nas partes em que isso é desejado, e, ao mesmo tempo, permite que a prancha absorva a força exercida pelo surfista (flex) e devolva essa energia na forma de impulso quando retornando à sua forma original (memória).

04. Lixa e Acabamento

Nesse processo, são eliminados os excessos da laminação, retomando o formato do shape. Retirando apenas o suficiente para nivelar a sobreposição dos tecidos dar acabamento à superfície.

Finalizamos nossas pranchas de performance com acabamento fosco, por ser esse o mais simples e eficiente.

0