O surf é um esporte rico em termos técnicos, nomes e expressões. Por ter sua origem dentro da língua inglesa, muitas palavras são usadas sem tradução.
Nesse glossário, fizemos nossas definições. Elas representam apenas nossa visão, valem as diversas interpretações.

A

A

Aéreo (aerial): Manobra em que o surfista usa a crista da onda como uma rampa para decolar.

Acabamento: Último processo na fabricação, lixa final da prancha. Pode ser fosco ou brilhante (polido)

Alaia: Uma das primeira pranchas usadas pelo homem, feita de madeira e sem quilhas.

Aloha: Saudação havaiana que significa: paz, amor compaixão, afeição. Muito usado como cumprimento.

B

Base: Posição dos pés do surfista na prancha. Pode ser Goofy ou Regular

Backside: Quando o surfista se encontra com as costas voltadas para a face da onda. Um surfista com base REGULAR indo para a esquerda, ou um surfista GOOFY indo para a direita.

Backwash: Quando uma onda está retornando da praia e vai de encontro á outra no sentido contrário.

Barrel: Cilindro, tubo, canudo.

Beach break: Denominação para ondas que quebram sobre um banco de areia.

Bloco (blank): A prancha em seu estado bruto, pode ser composto de Poliuretano ou EPS

Bottom: Parte de baixo da prancha, fundo.

Bottom turn: Curva realizada na base da onda, visando traçar a melhor linha de surf.

C

Cad: Sigla em inglês para: Computer Aided Design. Software de desenho técnico para elaboração de projetos voltados  à diversos segmentos.

Carbono (fibra de carbono): Material aeroespacial com excelente relação peso e resistência, usado como reforço nas pranchas de surfe.

Carve: Curva fechada na face da onda, utilizando a borda da prancha.

CNC (Machine): Sigla em inglês para: Computer Numeric Control (Controle Numérico Computadorizado). Máquina que executa no bloco o projeto feito no programa de desenho (CAD)

Crista: O ponto mais alto da onda. Parte que se projeta para a base (Lip).

Cutback: Curva executada na parte mais fraca da onda, para voltar na linha de surf.

D

Deck: Parte de cima da prancha.

Double Concave: Tipo de fundo com duas cavidades se encontrando na longarina.

Drop: Momento depois da remada, em que se fica em pé na prancha e se chega até a base da onda.

Dry: Partes do tecido de fibra de vidro que eventualmente não são totalmente preenchidas durante a aplicação da resina, causando ressecamento.

E

Embicar: O que acontece quando o surfista apoia demais na frente da prancha e o bico afunda.

Entrada de água: Parte da frente da prancha, do meio até o bico.

Epoxy: Tipo de resina plástica, compatível com o bloco de EPS

EPS: (Expanded Poly Stirene) Tipo de espuma com diversas aplicações (Isopor). Utilizada nas pranchas como uma alternativa ao poliuretano. Requer laminação em epoxy.

Espuma: Parte branca da onda.

Estolar: Quando o surfista exerce maior pressão no pé de trás, fazendo com que a prancha perca velocidade.

F

Fechadeira (close outs): Diz-se da onda que quebra de uma só vez, sem proporcionar uma parede manobrável.

Flat: Mar sem ondas, sem surf.

Flats: Parte mais horizontal da onda, mais distante do pico.

Flex / flexibilidade: Maneira como a prancha reage à pressão exercida pelo surfista. Determinado de acordo com o material empregado.

Foil: Vista lateral da prancha (perfil). Distribuição de massa do meio para as pontas.

Freelap: Sobreposição dos tecidos durante o processo de laminação.

Frontside: Surfista posicionado com o peito virado para a face da onda. Um surfista REGULAR indo para a direita e um GOOFY indo para a esquerda.

G

Gel: Ponto de secagem em que a resina está se solidificando.

Glass: A laminação, etapa em que se “encapa” o bloco já shapeado com fibra de vidro e resina, criando resistência e impermeabilizando a prancha.

Gloss: Última camada de resina no processo de laminação, utilizada para um acabamento mais perfeito em modelos onde o peso não é um fator menos relevante.

Goofy: Base do surfista que usa o pé direito na frente.

Grommet: Jovem surfista.

Gun: Prancha especialmente desenhada para ondas grandes.

H

Haole: termo havaiano para forasteiro. Que não é “local”.

Hot Coat: Camada de resina aplicada sobre o tecido já laminado. Permite o lixamento da superfície com maior facilidade.

I

Inside: Área onde as ondas acabam, próximo à areia. Oposto ao OUTSIDE.

J

Joelhinho: técnica para mergulhar junto com a prancha, buscando evitar o impacto da onda que quebra a sua frente.

K

Kick Tail: Acentuação da curva de fundo na rabeta.

L

Laminação: Processo de revestimento do bloco com fibra de vidro e resina.

Leash: A “cordinha” que mantém a prancha presa ao surfista.

Line-up: Lugar onde os surfistas se alinham para esperar as ondas. O aspecto das ondas visto de longe.

Lip: A parte que se projeta quando a onda começa a quebrar.

Local: Surfista que nasceu na praia onde surfa.

Longarina: Madeira que percorre todo o centro da prancha, conferindo flexibilidade e resistência ao BLOCO.

Longboard: Categoria de pranchas á partir de 9 pés.

M

Malho: Ruptura na camada de fibra que envolve a espuma do bloco.

Memória: Capacidade que um determinado material tem de voltar ao seu formato original.

Mexido: Termo usado quando o mar está balançado, com a superfície enrugada por conta da ação dos ventos e/ou correntes.

N

Neoprene: Tipo de borracha flexível utilizada na fabricação de roupas de borracha.

O

Outline: O formato plano da prancha, do bico a rabeta (saiba mais).

P

Parafina: Composto utilizado para evitar que se escorregue na prancha.

Parede: Parte lisa, onde a onda ainda não quebrou, fora da espuma. Para os surfistas, é a “área útil” da onda.

Pico: Local onde a onda quebra, onde há maior força concentrada.

Pin hole: Pequenos “furos” que podem ocorrer na laminação, causando futuras infiltrações na prancha.

Point brake: Ondas que quebram sobre fundo de pedra.

Poliéster: Tipo de resina mais utilizada para fabricação de pranchas.

Poliuretano: Espuma expansível mais utilizada para a fabricação do BLOCO.

Q

Quilhas: “Barbatana” instalada na parte traseira da prancha, sob o pé do sufista, para agregar direcionamento e controle.

Quiver: Grupo de pranchas que um surfista possui.

R

Rabear: Entrar em uma onda que já está sendo surfada por alguém.

Rail: As BORDAS da prancha (saiba mais).

Reef break: Ondas que quebram sobre uma bancada de coral.

Rocker: Curvatura do fundo da prancha, vista lateralmente do bico à rabeta (saiba mais).

S

Saída d’água: Parte traseira da prancha, entre a rabeta e o meio. A mais importante na interface com a onda.

Sand: Fase em que se lixa as imperfeições da laminação.

Sanduíche: Construção de pranchas na qual os materiais são prensados em um molde.

Série: Grupo de ondas.

Shaper: O designer / fabricante de pranchas.

Shortboard: Pranchas pequenas, designadas para performance.

Surform: Ferramenta para desbaste.

SUP: Stand up paddleboard, Prancha de remada em pé.

Swell: Energia do mar, gerada pelos ventos, que proporcionam as ondas.

T

Triângulo: Onda com formato triangular, proporcionando paredes para os dois lados.

Tow-in: Modalidade em que o surfista é rebocado por um jet ski e lançado na onda.

Twin-fin: Bi quilha.

Tubo: permanecer no interior da onda, na parte oca que se forma quando o mar está cavado.

U

Usinagem: Compreende todo processo mecânico onde a peça é a matéria prima de um processo de remoção de material. Na prática, isto significa submeter um material bruto à ação de uma máquina e/ou ferramenta, para ser trabalhado.

V

V Botton:  Tipo convexo de fundo.

Vaca: Tombo.

Vento Maral: Sopra do mar para a terra. Comprometendo a formação e a qualidade das ondas.

Vento Terral: Sopra da terra para o mar, segurando o LIP e suavizando a textura das ondas.

Volume: Litragem total da prancha.

W

Wide point: Parte mais larga do OUTLINE.

X

XPS: Extruded Poly Styrene – Espuma extrusada, material aeroespacial, bloco de alta densidade.

0